13 de outubro de 2014

O CAOS DO DESEDOQUÊS


Espigueiro em Malhapão de Cima
 

 "A história do professor que ficou colocado em 75 escolas depois de ter desistido do concurso"

Na aldeia penduravam-se os calotes à espera que uma réstia de vergonha “obrigasse” aqueles que os provocavam, finalmente, os pagassem. Era assim quem quisesse ser de boas contas e manter a coluna direita, ao mesmo tempo com a cara a descoberto de ter cumprido o seu dever.
Mas era assim noutros tempos, mesmo de fidalguia, mas hoje só se vê Incompetentes, e desavergonhados que assumem os erros, mas nem sequer tiram consequências disso. Errou-se e...
 Num cinema um arrumador que colocasse a mesma pessoa em vários sítios seria na primeira oportunidade despedido, mas o que acontece aqueles que controlam as colocações no Ministério da Educação? Incompetentes, porque manda a moral e os bons costumes que fique por aqui. Um governo que exige tantos dos seus cidadãos, que vasculhou coisas de incumprimentos passados, não consegue colocar professores há mais de um mês, e ao mesmo tempo não compreende que colocando o professor em mais de uma escola, uma delas, ou mais irão ficar sem professor, e o problema irá arrastar-se. Que  Passos segure Crato ainda compreendo, agora que o Crato queira ser segurado, isso já não compreendo. Isso para não falar no Secretário de Estado.

Nenhum comentário:

-------------------------------Um baú de histórias e memórias--------------------------------